Marcadores

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

10 Filmes de Sexo Explicito no Cinema Convencional

Adoro cinema e erotismo, principalmente aqueles filmes que fogem do convencional, que a gente tem que pensar um pouquinho mais para entender a mensagem por trás da explicitude…
Até porque, a vida é assim, nada é exatamente o que parece ser e, quase sempre o óbvio, não passa de um ponto de vista.
Exatamente por este motivo, ao longo do tempo escolhi dez filmes onde o sexo explícito apesar de ser o fio condutor não são exatamente o ponto principal. No entanto, para facilitar, resolvi reuní-los em um ínuico post para entrar em nossas Top Dicas.
Portanto, dispa-se de preconceitos, prepare a pipoca e, de preferência muito bem acompanhado pára depois “debater” sobre o assunto, conheça 10 filmes de sexo explícito que não são pornôs, mas que (alguns deles) nos deixam bem acesos.
Clique na imagem para ver o poster do filme completo. Se gostarem, em breve começo uma nova leva de indicações, ficou tanta coisa de fora…

9 canções – 9 Songs

Em Londres, durante alguns meses, um casal – ela uma estudante americana e ele um glaciologista britânico – mantém uma relação extremamente sexual e pouco interativa. A história é contada entre nove canções de rock. O filme ficou famoso pelo sexo explícito entre dois atores jovens e belos, mas ele é mais, nos leva a refletir sobre sexo e relacionamento. Meio lento, às vezes cansativo, mas vale pelo sexo e pela reflexão.


Anatomia do Inferno – Anatomie de l’Enfer

Com Rocco Sifredi e Amira Casar. Mulher deprimida tenta se suicidar no banheiro de uma boate gay, mas é salva por um desconhecido que parece ter grande desprezo pelo sexo feminino. Ela então o contrata para visitá-la por quatro noite, para que ela possa fazê-lo entender o que é ser mulher. O filme é complicadinho, ritmo lento, as personagens não tem nome, mas a própria diretora já dá o recado de que é um filme para reflexão. Cenas antológicas de exibicionismo, voyeurismo, sexo oral, adoração anal, menofilia…


Ken Park

Em um subúrbio da Califórnia adolescentes interagem fazendo suas descobertas, sobretudo sexuais, tendo que conviver com seus dramas e conflitos pessoais e sociais. Suicídio, pais negligentes, MILFs, incesto, homossexualidade, asfixia autoerótica, psicopatia, sadomasoquismo, ménage-à-trois, gravidez adolescente… O sexo apresentado no filme é sempre conflituoso, traumático… Se o tema mundo cão te excita, vá em frente!


Lucia e o Sexo – Lucia y el Sexo

Em uma ilha do mediterrâneo, Lucia se esconde do mundo após uma tragédia em sua vida, e nesta ilha, várias outras vidas se convergem entre si de modo inexplicável. Na verdade, tudo está relacionado ao namorado dela, um escritor, que teve sua vida e sua obra fundida de modo trágico. Pode parecer meio lúgubre e o filme até tem seus momentos meio dark, mas de um modo geral, o sexo mencionado no título é quase sempre um sinônimo de luz, vida… Paz Vega está belíssima e suas cenas de sexo sensacionais. É um filme sexy e tocante.

Na Cama – En la Cama

Em Santiago, Chile, um casal desconhecido, ambos com 30 anos, se encontra na boate e parte para uma noite de sexo casual em um hotel. E como ninguém faz sexo todo o tempo, o filme é entremeado com muita diversão, conversa, algumas mentiras e um limite, a vida pessoal de cada um, que ao acaso se intromete, lembrando-os que a vida real vai além daquele quarto. O filme tem versão colombiana (Entre Sábanas), brasileira (Entre Lençóis) com Gianechinni e Paola Oliveira, e até mesmo uma versão lésbica (Habitación en Roma) do diretor Julio Medem

O Império dos Sentidos – Ai no Corida

Baseado em uma história real, em 1936, empregada se envolve com o dono da propriedade e começa a viver uma relação de amor e sexo em uma entrega total de ambas as partes, extremamente co-dependentes. O filme entrou para a história pelas cenas de sexo fortes, sexo oral, asfixia erótica, urofilia, pompoarismo e, é claro, o ovo cozido… rs. O fim é trágico e apesar do explícito conteúdo erótico, muitos o consideram um filme meio moralista, mas… Vida real não tem como mudar o fim, né?!

Os Anjos Exterminadores – Les Angés Exterminateurs

Enquanto escolhe o casting de seu novo filme, que fala do prazer feminino, cineasta se envolve de uma maneira intensa com as atrizes. O que ele não sabe é que não passa de um joguete nas mãos de umas anjas sádicas que parecem se divertir com o seu jeito quase inocente, apesar de transgressor, de falar do prazer. Tem ótimas cenas lésbicas e erotismo psicológico MaleDom. O roteiro é ruinzinho, mas o sexo é ótimo!
Saiba mais:

Os Sonhadores – The Dreamers

Em 1968 um jovem americano vai estudar em Paris e conhece dois irmãos gêmeos, um rapaz e uma moça, que compartilham com ele a mesma paixão pelo cinema. A amizade se desenvolve de maneira extremamente intensa e incomum, já que os irmãos nutrem um pelo outro uma paixão incestuosa, mas não concretizada. Isso tudo em meio às revoltas estudantis daquela época. As cenas de sexo são belíssimas e, apesar do tema forte, o filme tem até uma certa ingenuidade.

Romance

Professora mora com o namorado, um modelo famoso, que a ignora sexualmente numa total falta de desejo. Ela então, parte em busca de outras experiências sexuais com estranhos e também com um colega, com quem se envolve em uma relação BDSM. O filme é sempre muito denso, às vezes bem paradão, mas tem cenas ótimas de sexo, masturbação, BDSM e, inclusive, o ator pornô Rocco Sifredi fazendo sexo, é claro.

Shortbus

Terapeuta sexual casada e pré-orgástica (está sempre a um passo de… mas nunca chega lá) conhece o Shortbus (casa noturna onde eventos artísticos mesclam com uma intensa atividade livre e sexual) conhece o Shortbus por intermédio de um casal de pacientes gays que querem trazer um terceiro parceiro para a relação. Os primeiros minutos do filme já valem a indicação por causa do sexo, no entanto, o filme é bastante reflexivo e consegue sê-lo de maneira extremamente leve. Imperdível!

Nenhum comentário:

Postar um comentário